AMOR DE 
PERDIÇÃO

DE

 

CAMILO CASTELO BRANCO

23 OUTUBRO


Manifestamos, neste quadriénio, a vontade de passar a fronteira para o lado ibero-americano, abrindo-nos a relações de criação e permuta com o México e Cuba, dinamizando o histórico com o Brasil e estruturas de outras regiões de Espanha. Como na Europa temos feito e continuamos, durante este ano, com Espanha, Ucrânia, Alemanha, Roménia e Itália. Esta postura de abertura ao Outro e a preocupação com a Cidadania muito contribuem para a reflexão sobre a criação e a prática teatral da CTB e, assim, influenciado decisivamente o nosso processo de criação, posicionamento no contexto do sector, dentro da chamada “descentralização” e quanto a outros factores de diferenciação e especificidade. Damos aqui nota de dois exemplos: um para a reflexão e outro para a prática. Na reflexão, a importância de conhecimento profundo sobre os modelos de gestão, natureza das estruturas, políticas de financiamento e hábitos culturais noutros países. Na prática, o entendimento que passamos a fazer na CTB sobre o conceito “interpretar” por parte do actor e que se resume sinteticamente à seguinte prática: o actor não interpreta o texto. O actor interpreta o Outro actor. A necessidade de retirar da “cabeça do actor”, o peso da formação judaico-cristã, cuja matriz cultural e identitária gera um “peso descomunal” na ideia e na prática “da representação”. A Programação que aqui se apresenta é o nosso contributo de artistas/cidadãos empenhados na procura de uma sociedade onde a dignidade humana, o respeito pelo Outro e pela diversidade cultural, nos convoca a todos (actores e públicos) para um outro Tempo, uma outra Europa e uma nova Cidade.

  • Branca Ícone Vimeo
  • Branca Ícone Instagram
  • w-facebook