A GAIVOTA

 

ENCENAÇÃO

 

RUI MADEIRA

[2000]

 DE

ANTON TCHEKOV

A GAIVOTA

(Чайка(1896)

Dois espectáculos a partir da "correspondência" entre estes dois expoentes da literatura do séc. XX: «A Gaivota» de Tchekov e «Moeda Falsa» de Gorki. Aqui,  pretende-se abordar a relação epistolar mas não só, entre Tchekov e Gorki sobre a criação artística teatral. Com A Gaivota trabalhamos sobre como os citadinos "vivem no campo tchekoviano",

É um espectáculo da memória, na justa medida que coloca os personagens num permanente confronto com o seu passado e o desejo impossível de lá voltar. É a vida! A memória de tudo o que se perdeu, lá fora e cá dentro (na cabeça). Um espectáculo em trânsito para qualquer lado. Desinstalado. Precário. Como o teatro deve ser. Feito de memórias de pessoas e de coisas. De coisas reais que adquirem por via disso noivas usagens e se tornam realistas nesse novo contexto.

 

Pretende-se um espectáculo de actores. Como julgo que Tchekov desejava. Afinal trata-se apenas de uma representação teatral, de uma tentativa de criação do novo, do nunca experimentado. Uma experiência de morte. Uma jogada de risco... um testemunho e um contributo sobre esta jogada de risco, que foi para nós colocar esta Gaivota a voar.

  • Branca Ícone Vimeo
  • Branca Ícone Instagram
  • w-facebook