PARALQUIMIA

 

ENCENAÇÃO

 

RUI MADEIRA 

[1995]

 DE

ROBERT PINGET

PARALQUIMIA

Paralchimie, Paris, Ed. de Minuit, (1973)

Quando Pascal exorta os libertinos do seu século a «fazerem de conta» que acreditam, abre ao teatro uma nova dimensão. A sua «aposta» está contida no neologismo que Pinget criou para título da peça. Pascal e Pinget convidam os atores e os espectadores seus contemporâneos a afastarem-se do «divertimento», da lei do menor esforço que empurra para o doce declive da facilidade – e se a peça de Pinget tem sido tão ignorada é porque constitui um pico cujo cimo fica perdido nas nuvens e ao qual só se pode trepar seguindo uma longa espiral, figura emblemática de toda a presente estrutura dramática.

 

Saguenail

  • Branca Ícone Vimeo
  • Branca Ícone Instagram
  • w-facebook